[ editar artigo]

Psoríase do couro cabeludo

Psoríase do couro cabeludo

Você conhece a diferença entre a psoríase e dermatite seborreica?

Problemas onde o seu maior dano, não é físico, é emocional... destrói a autoestima da pessoa, pois o preconceito com a aparência das doenças de pele, causam muitos constrangimentos em seus portadores gerando até isolamento social.

Os sintomas da psoríase do couro cabeludo podem variar de pessoa para pessoa, e podem incluir uma ou mais das seguintes características: coceiras, manchas vermelhas na pele ou placas em tamanho variáveis e coberta por lesões descamativas e grosseiras, muitas vezes pode surgir um quadro de dermatite seborreica (caspa) associado a psoríase e isso impede um diagnóstico exato, nem sempre uma biópsia consegue fazer um diagnóstico correto, só um acompanhamento com dermatologista. Com a evolução dos sintomas, torna-se possível um diagnóstico correto. Portanto é extremamente importante não indicar NUNCA um shampoo anti caspa ou qualquer tratamento para qualquer pessoa, pois esse poderá ser o início da piora de um quadro de psoríase.

No geral, quando a lesão se localiza mais na orla do couro cabeludo, em forma de placas e é uma lesão mais seca, descamação mais grossa costuma ser psoríase. 

Quando se espalha por todo o couro cabeludo, apresentando uma descamação mais fina, um pouco mais de oleosidade e vermelhidão menos intensa costuma ser dermatite seborreica.

Se raspar os cabelos de alguém com psoríase, iremos encontrar lesões espalhadas, uma aqui outra ali. Nos casos de dermatite seborreica, a vermelhidão é difusa e generalizada.

— A dermatite seborreica é uma doença descamativa que ocorre nas áreas de maior oleosidade. São lesões que ficam vermelhas e descamam. Surgem principalmente no couro cabeludo, sobrancelhas e nas regiões nasal, barba e pré-esternal (o V do decote) e, quanto mais pelos houver, maior será a vermelhidão associada à descamação. No couro cabeludo, costuma ser mais difusa. 

A psoríase é uma doença imunológica e genética, no entanto, trata-se de uma doença de caráter multifatorial. Assim sendo, pessoa estressada geralmente piora a psoríase e pode melhorar muito quando tira férias. E tem mais: quanto mais importância der às lesões, quanto mais o comprometimento do aspecto estético o incomodar, quanto mais abalado o deixar, pior será a evolução da doença.  

O clima também influencia no aparecimento das lesões. A doença se agrava nos meses de clima frio e melhora a partir do momento em que a pessoa consegue tomar um solzinho e expor-se à radiação

Em países tropicais como o nosso, nos quais se dá muita ênfase à beleza, a psoríase é estigmatizante. Tomar sol é essencial para o tratamento, mas a pessoa não o faz porque tem vergonha de expor a lesão. Psoríase e dermatite seborreica não são transmissíveis, porém o leigo as consideram repugnantes e os portadores são colocados de lado, o que piora seu estado emocional. No caso específico da psoríase, vira um círculo vicioso: quanto mais abalado estiver, quanto mais nervoso e estressado, piora nítida da doença vai ter.

Cuidados específicos para portadores da psoríase

Confira quais cuidados o portador de psoríase precisa ter:

  • Shampoos, loções, pomadas e banhos muito quentes e demorado, pode causar ressecamento do couro cabeludo, causando o agravamento das inflamações; 
  • Ao lavar o cabelo não pode esfregar vigorosamente, mas deve-se lavar delicadamente e bem lavado o local onde se encontra as lesões, pois ficará acúmulo de sujeira, e se não for realizada uma boa limpeza, pode haver piora do quadro.
  • Nunca esfregar a toalha no couro cabeludo para secar, aperte-a contra os cabelos levemente.
  • Um cuidado extremamente importante é nunca tracionar demais esse cabelo.
  •  Evite grampos e presilhas em geral, pois podem gerar tração nos fios e afetar o couro cabeludo quando estiver com as lesões.
  • Escovas de cabelo muito rígidas e pentes não devem tocar o couro cabeludo. O ideal é pentear os fios no comprimento, evitando as raízes.
  • Secadores de cabelo e chapinhas devem ser usados com moderação, pois o calor dos aparelhos pode desencadear ou agravar a doença.
  • Gel, pomadas e mousse devem ser evitados, pois essas substâncias podem afetar a pele e causar ainda mais irritação em razão dos componentes químicos.
  • A doença em si não provoca a queda dos cabelos. O que pode ocorrer é o excesso de coceira, que provoca infecção e faz com que os cabelos caiam.

Daí a importância de se tratar prontamente as lesões quando elas surgem, para que não ocorra complicações dessa natureza. 

O tratamento consiste em consultas e acompanhamento de um médico dermatologista, que indicará medicamentos e cuidados adequados, nunca deve ser indicado pelo cabeleireiro, o diagnóstico errado irá gerar piora do quadro.

Quem tem psoríase ou dermatite seborreica deveria dar preferência para manter os fios naturais, sem aplicação de químicas, uso de produtos para alisamento e tintura, de um modo geral. Cabelos naturais são saudáveis e mais fáceis de serem mantidos, pois tratamento agressivo pode desencadear graves crises. Porém, sabemos que a vaidade muitas vezes fala mais alto e nos leva a fazer procedimentos no salão de beleza.

-Os produtos como tinturas e alisantes criam feridas na pele sensível daqueles que sofrem com  problemas do couro cabeludo. Ardência é o mínimo que pode ocorrer.

Formol, apesar de proibido pela Anvisa em determinadas quantidades continua sendo usado  em muitos salões de beleza, ainda que de forma “discreta”. Se essa substância for aplicada em quem tem psoríase, feridas podem se abrir e o problema se manifestar de forma bastante severa.

Se você é portador de psoríase ou dermatite seborreica nunca faça um procedimento químico nos cabelos antes de consultar um médico dermatologista, somente ele será capaz de avaliar os riscos  

Não esqueça de tratar os fios, pois o problema está somente na pele, nunca nos fios, eles precisam de tratamento adequado, pois os produtos usados para tratamento da lesão, acabam por ressecar os fios.

Pior que as doenças de pele só o preconceito, já é difícil para as pessoas conviverem com o próprio problema, ainda precisam lidar com a discriminação, devido à falta de conhecimento sobre problemas de pele, espero que falar um pouco sobre esse assunto, tenha ajudado trazer mais respeito a quem tem psoríase, dermatite seborreica.

Educadores da Beleza - Colorimetria
Ler matéria completa
Indicados para você