Você procura por
  • em Publicações
  • em Grupos
  • em Usuários
BACK

Gestão em salão de beleza

Gestão em salão de beleza
Tatiane Vieira
Sep. 16 - 4 min read
080

A arte de lidar com números, de saber quanto ganha, se o que ganha está pagando os custos, se tá sobrando para um capital de giro, se tá sobrando para o pro labore, é para poucos. Como administradores essas informações tem que ser precisas para futura tomada de decisões. Tomar uma decisão no escuro pode ser “um tiro no pé”.

Em primeira mão, é de suma importância se ter um fluxo de caixa, que são as entradas e as saídas durante aquele mês.

Com o tempo pode ir alimentando mais informações, como: quantidade de serviço realizado, quantidade de clientes, custo específico de cada serviço (por exemplo: manutenção, limpeza, custo pelo shampoo, condicionador, higienização das toalhas, escovas, e materiais utilizados, que por muitas vezes não se coloca como custo). Com esses valores já determinados, fica mais fácil fazer a precificação.

Como determinar o preço para a cliente? Pense da seguinte forma:

Preço = valor dos produtos + valor da mão de obra + custos administrativos

• Valor dos produtos - Custo que se tem com os produtos usados naquele determinado serviço, ex: coloração, tonalizante, pó descolorante, oxidante, etc. Lembrando que aqui, já se coloca a sua margem de ganho em cima do produto, para seu capital de giro.

• Valor da mão de obra - Se for o dono, tem que estipular o valor que se quer ganhar por hora trabalhada. Um trabalhador CLT, com 1 salário mínimo, ganha por volta de 6,50 por hora (considerando 12 meses trabalhados + décimo terceiro salário + férias / total de horas trabalhadas no ano). Quanto vale a sua hora? Qual sua predestinação salarial? Agora se haver for um colaborador o valor é o que foi combinado na sua contratação.

• Custos administrativos - Despesas, geralmente fixas, que se tem por manter o estabelecimento. Nestes custos entram: energia elétrica, água, limpeza, manutenções, aluguel, internet e por último a depreciação (fundamental contabilizar a depreciação dos seus equipamentos, utensílios e também do imóvel. A propósito, se não fosse o salão, não os teriam. Como fazer o cálculo da depreciação? Primeiro, faça o valor atual dos móveis, equipamentos e utensílios (o valor real que eles valem da forma como estão), e se o imóvel for próprio, faça do imóvel também. A porcentagem de depreciação varia de cada item, de acordo com a receita federal, equipamentos e móveis 10% a.a. (ao ano), computadores 20% a.a., o imóvel 4% a.a.. Fica mais fácil fazer seu custo mensal, obtendo o custo mensal dividido pelo número de clientes mensal, terá o custo por cliente, ou se não, transforme em porcentagem em relação ao seu faturamento (faturamento de 5 mil, custo de R$ 1.500,00, deste modo seu custo é de 30% sobre seu faturamento). Entendido isso, como ficaria então o preço das mechas, por exemplo, sendo que o custo de produto foi de 66 reais mais 100% de ganho em cima do valor, 5 horas de trabalho e o valor da mão de obra por hora é de 25 reais e o percentual de custo administrativo é de 30%.

  • Preço de mechas = R$ 132,00 com produtos + R$ 125,00 mão de obra + 30% de custo. Preço de mechas = R$ 257,00 + 30%.
  • Preço de mechas = R$ 334,10. Esse valor é só para as mechas, se fizer corte e escova, cobrar o valor desses serviços a mais.

Lógico que cada um tem a sua forma de fazer sua precificação, o objetivo aqui é mostrar uma forma de se cobrar tendo a segurança que vai custear todas as despesas.

Lembrete: Quanto mais você investe em você maior será o seu valor por hora!



Report publication
    080

    Recomended for you