[ editar artigo]

Doenças do couro cabeludo

Doenças do couro cabeludo

Como sabemos, o couro cabeludo é uma extensão da pele e, assim como qualquer outra parte do corpo, pode ser atingido por várias doenças. Uma das mais conhecidas é a caspa, é uma descamação fina no couro cabeludo, não acompanhada de inflamação, acomete cerca de 50% dos caucasianos. Na tricologia, conhecida como pitiríase vulgar (PV) é pouco valorizada, apesar de ser extremamente frequente, apesar de não trazer nenhum transtorno, sua presença causa desconforto, quer pela aparência do couro cabeludo como pela descamação que cai na roupa, a PV tem uma incidência e gravidade mais intensa em pessoas com aproximadamente 20 anos de idade, e após os 50 anos.

Fatores associados a pitiríase vulgar

Um fator bastante discutido entre pessoas leigas é a possibilidade de que a PV ocasione a queda dos cabelos. Na literatura, alguns artigos mostram que realmente a PV pode desencadear sim a queda dos cabelos, pode proceder até por alguns dias o aumento do eflúvio telógeno.  

Algumas dessas patologias tem origem genética, outras desencadeadas por fatores externos. Algumas podem ser curadas, outras apenas controladas. Muitas vezes os pacientes não dão a devida importância aos sintomas, o que pode agravar o problema chegando a uma evoluir para dermatite.

Dermatite  Seborreica 

A dermatite seborreica (DS), ou eczema seborreica, é uma doença crônica não-contagiosa e de episódios recorrentes. Trata-se de um quadro inflamatório das camadas da pele com maior número de glândulas sebáceas. No couro cabeludo, a pessoa pode apresentar vermelhidão (eritema), prurido, descamação e por muitas  vezes secreção, podendo ser assintomático. Esta condição pode acometer cerca de 40% dos indivíduos com mais de 30 anos, principalmente do sexo masculino.

A fisiopatologia da dermatite seborreica ainda não é totalmente conhecida. Porém, algumas hipóteses causais apontam para a relação microbiológica que é o fungo Malassezia, alguns fatores podem desencadear ou agravar uma DS, tais como calor, umidade, roupas que retêm suor, estresse, alcoolismo, Além da predisposição genética, existem várias patologias como a diabetes, imunodepressão, doenças neurodegenerativas e fatores epigenéticos, tais como estresse crônico, privação de sono, uso de alguns medicamentos (exemplo: antibióticos), ingestão de alimentos gordurosos e outros, que podem agravar a sua incidência. A dermatite seborreica apresenta um caráter crônico, com períodos de melhora e piora.

Existem quadros intermediários entre a DS e psoríase, e alguns autores os chamam de seboríase ou sebopsoríase. A DS eventualmente pode levar a um eflúvio telógeno, em crianças recém-nascidas também pode ocasionar uma alopecia.

A dermatite também tem outras classificações pouco citadas, mas que devemos dar uma atenção especial, pois pode ser acometido em nosso meio de trabalho, (Institutos de Beleza). São as dermatites alérgicas de contato e dermatites irritativas de contato.

A dermatite de contato (ou eczema de contato) é uma reação inflamatória na pele decorrente da exposição a um agente capaz de causar irritação ou alergia. Existem dois tipos de dermatites de contato, a irritativa e a alérgica:  

  • Irritativa: causada por substâncias ácidas ou alcalinas, bases alisantes, água oxigenada ou outras substâncias químicas. As lesões da pele geralmente são restritas ao local do contato. 
  • Alérgica: surge após aplicação das colorações, agente causador,(Parafenilenodiamina) em segundo lugar está no uso do minoxidil. Depende de ações do sistema de defesa do organismo.

Os sintomas são variáveis e dependem da causa: ardor ou queimação até intensa coceira (prurido). As reações alérgicas podem ocorrer repentinamente ou meses após a exposição a uma substância. A dermatite alérgica, muitas vezes, provoca uma erupção vermelha no local, no qual a substância entrou em contato. A reação alérgica surge de 24 a 48 horas após a exposição. A lesão pode ser vermelha, inchar e apresentar pequenas bolhas; ser quente; ou formar crostas espessas. Na dermatite irritante, os sintomas são mais discretos, com pouca coceira e sensação de dor e queimação.

Dermatite Irritativa de contato pode ser tratada por meio de terapia calmante, uso de laser infravermelho e uso de produtos suaves.

Dermatite Alérgica tem que ser tratada por médico e não por terapeuta, pois requer medicamentos. 

O tratamento adequado da dermatite seborreica requer um conjunto de mudanças de hábitos e recursos terapêuticos como laser, led, argilas, óleos essenciais e  cosméticos moduladores de oleosidades, que atuam em sinergia do couro cabeludo, com o objetivo de controlar a evolução da patologia e inibindo a 5-alfa-redutase, evitando o enfraquecimento dos fios e queda capilar. O objetivo do tratamento consiste no controle da inflamação, controle da proliferação do micro-organismo e excesso da produção de sebo para normalizar o estrato córneo e reequilibrar a microbiota do couro cabeludo.

Referências Bibliográficas:

 https://www.scielo.br/pdf/abd/v86n6/v86n6a02

https://www.sbd.org.br/dermatologia/pele/doencas-e-problemas/dermatite-de-contato/2/

https://www.grandha.com.br/dermatite-seborreica-no-couro-cabeludo-o-que-e-como-tratar/

TRATADO DAS DOENÇAS DOS CABELOS E COURO CABELUDO - TRICOLOGIA 2016 by Di Livros editora Ltda Autor:Jose Marcos Pereira

 

 

 

 

 

Educadores da Beleza - Comunidade de Colorimetria Avançada
Verônica Martins
Verônica Martins Seguir

Sou cabeleireira, Colorimetrista, Pós graduação em tricologia e também sou Terapeuta Capilar! Minha missão é entregar um trabalho de qualidade devolvendo auto estima dentro dos limites do conselho de classe, tanto na transformação e na saúde.

Ler conteúdo completo
Indicados para você