[ editar artigo]

Contraste pessoal

Contraste pessoal

As cores se influenciam mutuamente, portanto não as vemos separadamente e sim em comparação uma com a outra. 

Quando vamos escolher a cor dos cabelos por exemplo, é importante analisarmos um todo, pois podemos alterar nosso contraste pessoal podendo ou não valorizar nossa imagem.

Mas o que seria o contraste pessoal? É a diferença de coloração da pele para o cabelo na escala tonal de cinza.

Uma forma de entendermos nosso contraste seria tirando uma foto e colocando um filtro em preto e branco.  

Feito isto é preciso observar e colocar na coluna correspondente o tom de cinza referente ao tom de cabelo e de pele da cliente. Subtraia o menor numero do maior. Por exemplo: 7- 4 = 3... assim encontramos o contraste.

Se o resultado for de 0 a 3 temos um baixo contraste;

Se o resultado for de 4 a 7 temos um médio contraste;

Se o resultado for de 8 a 10 temos um alto contraste.


 

Na imagem abaixo na foto de numero 2 temos um alto contraste, na foto de numero 1 o contraste caiu na escolha errada do tom de cabelo não harmonizando a imagem em um todo.

Repare a mesma imagem colorida  logo abaixo e perceba que quando estamos em harmonia com nossa coloração pessoal, nossa pele reage aparentando jovialidade e automaticamente as manchas e olheiras são reduzidas. 

Baseado na Lei do Contraste Simultâneo das Cores de Michel Eugène Chevreul,(químico francês), os nossos olhos normalmente buscam aquelas cores que, somadas ao nosso tom de pele nos trazem o melhor resultado para deixar nossa imagem mais harmônica.

Muitas vezes, por tentar estar em equilíbrio, o cérebro interpreta as cores de maneira diferente de como elas são de verdade. Isso pode gerar efeitos interessantes, como desagradáveis. O contraste simultâneo é uma conseqüência do trabalho do olho pela busca de equilíbrio. Ele ocorre sempre que o olho é sensibilizado por uma cor. A partir desse instante, o olho procura o tom complementar a essa cor, para que esses tons se anulem e ele possa voltar ao seu estado de equilíbrio inicial. Quando o olho encontra esse tom complementar e consegue se anular, consegue-se a harmonia cromática. Este estudo é base para a coloração pessoal. Entendido este conceito podemos indicar o que melhor harmoniza com a cliente nos dando segurança na escolha das cores a serem aplicadas.

Veja no vídeo:

Espero ter ajudado de alguma forma.

Marquele Shimizu.

Tutora de apoio.

 

 

 

Educadores da Beleza - Colorimetria
Ler matéria completa
Indicados para você