[ editar artigo]

Casquinhas no couro cabeludo: Saiba o que causa e como amenizar o problema

Casquinhas no couro cabeludo: Saiba o que causa e como amenizar o problema

Caspa. Só de ler a palavra tem muita gente que se sente incomodada. Além de causar desconforto estético, a descamação do couro cabeludo pode ser uma doença que recebe o nome de dermatite seborreica. Parece complicado, mas é uma situação muito mais comum do que você imagina. Trata-se de uma inflamação na pele que causa vermelhidão, dor e descamação em algumas partes do corpo, inclusive na cabeça. A dermatite seborreica é uma condição crônica, ou seja, não tem cura. Ela apenas piora ou melhora em determinadas fases da vida, devido a fatores distintos.

Não existe uma causa específica para o surgimento da dermatite seborreica. Ela pode ser favorecida pela combinação de problemas variados, como estresse, tempo frio e seco, um fungo (o Pityrosporum ovale), certas condições médicas e medicamentos, além de características individuais, como tipo de pele, por exemplo. Também é importante ressaltar que essa condição não tem nada a ver com falta de higiene ou alergias, apesar do preconceito que a cerca.

Quem tem a pele oleosa pode apresentar uma tendência maior para desenvolver dermatite seborreica, que é mais frequente entre adultos com idades de 30 a 60 anos. Além disso, outras condições médicas, como citamos ali em cima, podem se tornar importantes fatores de risco para a doença. É o caso de acne, alcoolismo, depressão, transtornos alimentares, ataque cardíaco ou AVC prévio e psoríase, por exemplo.

Assim que notar os sintomas, como flocos de caspa no couro cabeludo e em outras partes do corpo, acompanhados ou não por vermelhidão na pele, coceira, ardor e aumento da oleosidade, é preciso buscar a ajuda de um dermatologista para entender o que, de fato, está por trás do problema e que tipo de tratamento é mais indicado para o seu caso. Pode ser algo pontual, sem necessidade de intervenção médica, ou um quadro mais grave de dermatite seborreica, que precisa de um tratamento específico e em longo prazo.

Casquinhas sob controle

O couro cabeludo é, por natureza, uma região mais oleosa. Até aí, tudo bem. A questão é que, com a dermatite seborreica, há o aumento da oleosidade, ou seja, condição propícia para a descamação do couro cabeludo, que fica coberto por pequenos flocos esbranquiçados de pele. No inverno, esse sintoma pode piorar porque banhos mais longos e quentes estimulam a produção de oleosidade pelas glândulas sebáceas, agravando o problema.

A combinação de alguns tratamentos específicos para o couro cabeludo e mudanças no estilo de vida ajudam a manter as indesejadas casquinhas à distância, sem comprometer o visual. Para começar, a dica é lavar os cabelos com shampoos e condicionadores anticaspa, que contenham ingredientes como ácido salicílico, alcatrão de hulha, cetoconazol, sulfeto de selênio ou piritionato de zinco. Após a visita ao dermatologista, você também pode investir em uma loção anticaspa medicamentosa, cuja fórmula conta com uma concentração mais intensa de algum destes ativos citados anteriormente.

Os sintomas da dermatite seborreica independem da frequência de lavagem do couro cabeludo, portanto, lave os cabelos sempre que se sentir desconfortável. O ideal, no entanto, é fazer isso um dia sim, um dia não, já que o excesso de limpeza pode prejudicar a beleza natural dos cabelos. Dê preferência à temperatura morna da água do chuveiro, que não estimula tanto as glândulas sebáceas. Lembre-se de fazer movimentos delicados e suaves debaixo da água, para não piorar a descamação.

Após o banho, evite o hábito de ir para a cama com os cabelos molhados. A umidade no couro cabeludo pode favorecer a proliferação do fungo responsável pela descamação. Nessas horas, o secador deve ser utilizado a uma distância segura, de pelo menos 15 centímetros, para que o calor liberado pelo acessório não cause mais desconforto em regiões sensíveis do couro cabeludo, além de estimular a oleosidade. Novamente, prefira temperaturas mais amenas quando for secar os fios.

Se você é fã das químicas, é preciso entender que qualquer procedimento químico no cabelo pode causar descamações, principalmente no caso de escovas progressivas e tinturas. As químicas representam uma agressão à região, por isso o corpo responde com a troca de pele acelerada do couro cabeludo, que nada mais é do que aquela casquinha incômoda que se prende aos fios. A dica é sempre avaliar a necessidade do procedimento e escolher estabelecimentos confiáveis para realizá-lo.

Educadores da Beleza - Comunidade de Colorimetria Avançada
Ler conteúdo completo
Indicados para você