[ editar artigo]

Cabelos Naturais

Cabelos Naturais

Cor natural é aquela com a qual nascemos e não sofreu nenhum procedimento de transformação química artificial para modificá-los. Quem determina a cor natural é uma proteína chamada melanina, produzida pelas células melanócitos, onde há uma fusão dos melanócitos com os queratinócitos (células que produzem a queratina), sendo assim, temos a formação da queratina com cor (colorida).

As melaninas se dividem em grupos granulosos (Eumelanina – pigmento AZUL e Tricosiderina – pigmento VERMELHO) e difusos (Feomelanina – pigmento AMARELO / LARANJA). Cada indivíduo apresenta no interior do córtex capilar concentrações de melaninas em proporções diferentes, que origina a cor dos cabelos. Para que possamos diferenciar cada cor, usam-se numerais nomeados conforme cada tom, na escala de 1 a 10 veja:

ALTERAÇÕES GENÉTICAS

No entanto, alguns cabelos podem sofrer alterações das suas colorações naturais ao longo da vida, mais precisamente até a puberdade. Alguns indivíduos nascem com os cabelos de uma cor e ao passar do tempo as melaninas vão se redistribuindo até que se determine a cor definitiva. Isso acontece por condições genéticas e hormonais, onde os melanócitos trabalham em um ritmo diferente na produção de suas melaninas, por isso é comum nascer com cabelos escuros, clareando na fase criança e na adolescência ele escurece e se mantém.

Nota – Essas modificações também podem acontecer quanto à forma dos cabelos, mas nada tem a ver com a pigmentação natural dos cabelos, trata-se de outro tipo de transformação genética.

REFLEXOS

Quando falamos de cor natural não podemos deixar de pensar em reflexos. Será que cor natural tem reflexos? Sim, porém se trata de um reflexo natural onde enxergamos uma variação do dourado. A partir do natural 4 (castanho escuro) temos uma percepção visual maior desses reflexos. Cabelos naturais, bem tratados, são mais brilhosos e o reflexo dourado se aparenta mais espelhado.

Em uma cabeleira existem no mínimo 10 variações de cores que reunidas dão a ilusão de uma única cor. Cabelos, como por exemplo o castanho claro, em três pessoas diferentes com a mesma altura de tom, podem apresentar reflexos diferentes, o que nos leva a dizer que uma certa pessoa tem um cabelo castanho claro dourado, a outra tem um castanho claro meio acinzentado, pois esse não reflete tanto brilho, e a outra um castanho claro amarronzado. Isso é muito interessante não é mesmo? Independente dos reflexos visíveis na cor natural, essa é considerada um marrom cendre, pois estão reunidas as três cores primárias através dos pigmentos da melanina citados acima, exceto em ruivos e albinos, pois apesar de ser natural, em especial esses indivíduos por causa de uma disfunção genética, o pigmento eumelanina/azul não está presente em pessoas ruivas e os pigmentos azul e vermelho não estão presentes em pessoas albinas. O que é importante saber que cabelos albinos e ruivos, apesar de serem considerados uma anomalia, suas disfunções ou construções genéticas são distintas.

 

Cabelos ruivos também podem sofrer variações por causa da distribuição de seus pigmentos vermelhos e amarelos, sendo eles: ruivos laranjas ou laranjas avermelhados.

Cabelos Albinos podem seguir a mesma linha que os ruivos, pois também podem sofrer variações quanto a sua pigmentação. Essas variações de dividem em Albinismo total ou parcial e suas subclasses.

VOCÊ SABIA?

Cores naturais ruivos e albinos não podem ser reproduzidos cosmeticamente, uma vez que, ambos de forma natural são deficientes em pigmentação, considerados um tipo de anomalia, por não conter as três cores primárias reunidas, e,  para produzir cores cosméticas, nas quais suas bases necessitam de ingredientes fundamentais para compor suas alturas de tom, sendo esses os pigmentos azul, vermelho e amarelo em proporções diferentes, a indústria cosmética ainda não evoluiu de tal maneira para que se possa confeccionar cores com essas particularidades.

LOIROS NATURAIS

Conforme as considerações acima, quando me refiro as cores naturais e comuns, já é possível entender o porquê dos loiros naturais terem tantas variações! Considerando que todo cabelo natural tem influência do dourado, podendo ser em maior ou menor escala no quesito percepção visual, sendo nos loiros de modo mais evidente, uma vez que temos uma concentração maior da melanina (feomelanina) responsável por essa coloração, no entanto, não deixa de ser considerada uma cor natural, dessa forma é possível observar loiros naturais mais apagados, onde a influência do dourado é mais discreta ou mais luminosa, onde o dourado é mais altivo, ou ligeiramente frio no que compreende um padrão natural, dentro da mesma escala de cor natural.

Baseando-se nesse segmento a indústria cosmética desenvolveu nomenclaturas, através de combinações numéricas, as denominando de beges, mates e pérolas, como por exemplo, os finais: .31 - .13 - .21 - .12 e a série .89. Vale lembrar que me refiro à classificação dessas nomenclaturas na esfera da colorimetria universal. O que se pode concluir que, quando falamos de uma cor bege, mate ou até mesmo pérola, tendo em vista que é possível encontrar cabelos naturais perolados, ambos se caracterizam marrom cendre, como resultado revelado. Entretanto, para revelá-los de forma cosmética é necessário somar o fundo de clareamento correto com a cor aplicada, com a oxidação adequada, visto que, nem sempre a cor aplicada será a cor revelada.

OBSERVAÇÕES FINAIS

A indústria cosmética também desenvolve suas "bases naturais" conforme a cor natural dos cabelos, mas, ao serem aplicadas sozinhas não revelarão na íntegra a fidelidade do brilho de um cabelo natural, sua maior função é para cobertura de brancos, por serem muito carregadas em pigmentos para promover a sustentação da cor, no entanto o resultado será opaco. Em técnicas de clareamento, se houver brancos a base é importante, porém se não existir brancos a base implicará negativamente no resultado. No escurecimento, sendo ela sozinha na mistura, o efeito poderá ser frio demais (chumbado) ou o fundo de clareamento também poderá ser evidenciado como reflexo. Contudo, existem métodos onde podemos dispor de técnicas eficazes com sequências de reflexos para obter o resultado natural desejado tanto para o clareamento com coloração, como para o escurecimento e na cobertura de brancos.

Hoje eu fico por aqui, mas se esse artigo lhe foi útil e agora está sedento por mais informações sobre esse assunto bem como outros, e quer se tornar em um colorimetrista de verdade, acesse o curso COLORIMETRIA AVANÇADA, pois foi desenvolvido dentro de um método científico, capaz de te transformar em um especialista em pouquíssimo tempo.

Participe da enquete nos comentários. Quais cores naturais, nas imagens oferecidas nesse artigo, você enxerga, bem como seus reflexos?

Carla Lopes,

Colorimetrista Educadora.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Educadores da Beleza - Colorimetria
CARLA RENATA LOPES
CARLA RENATA LOPES Seguir

Cabeleireira, educadora, colorimetrista, maquiadora profissional e técnica em penteados.

Ler matéria completa
Indicados para você